quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A vida está valendo nada.

É isso. não valemos mais nada. Quanto maior a cidade menos valor temos. Somos só mais um na rua, no ônibus, no trânsito, sendo um incômodo para os outros. As escolas e igrejas falharam em seus ensinamentos porque nosso valor mesmo é medido pelo que temos. Quanto melhor o carro e as roupas mais somos respeitados. O importante é ser rico e bonito. Quem é rico, naturalmente fica bonito. Quem é bonito tem que usar a beleza enquanto a tem para conseguir ficar rico. Pronto. 

Os noticiários estão aí para comprovar. A vida vale apenas uma notícia de 1 minuto ou 2. Quanto pior for a morte mais vale a notícia. Se for mortezinha, talvez mereçamos uma chamada de 30 segundos, que por ironia, é o mesma quantidade de tempo de um anúncio comercial. Os animais se tornaram mais dignos de comoção. Jovens brincam com armas e morrem. Outros brincam de Pica-Pau nas Cataratas do Niágara e perdem suas vidas em sangas e açudes enquanto os pais estão olhando para outro lado.

Com as famílias cada vez menores é assim. Temos valor para poucas pessoas: pais, irmãos e  cônjuges.

Assim a vida segue. Sobrevivemos numa guerra do cada um por si. 

Resta saber se nos educaram a ter a atenção prendida apenas pelas desgraças ou se algum noticiário que desse apenas boas novas teria alguma audiência além dos 3 minutos de intervalos comerciais.

Nenhum comentário: